O que fazer na Chapada dos Guimarães

É impossível negar que as belezas naturais da Chapada dos Guimarães são o principal atrativo para os turistas, ávidos para apreciar a olhos nus a magia das cachoeiras, como a a Cachoeira Véu da Noiva, com mais de 85 metros de queda; fazer trilhas de mais de 8 quilômetros por sítios arqueológicos, como no Caminho das Pedras; tirar fotos das formações rochosas, das pinturas rupestres e dos morros, que juntos formam uma das mais belas paisagens de todo o mundo; conhecer cavernas e grutas, como a Caverna Aroe Jarí, de cerca de 1550 metros de extensão, e a Gruta da Lagoa Azul, bem ali perto, emoldurada com as cristalinas águas da Lagoa.

E que tal ter uma visão panorâmica da região, avistando, inclusive, Cuiabá? Isso é possível através do Mirante do Centro Geodésico, onde se chega através de uma deliciosa caminhada por uma estrada de terra. A vista vale a pena! Mas se você é mais religioso do que aventureiro, a Chapada não irá te decepcionar: a bela Igreja de Nossa Senhora de Santana do Sacramento, toda em estilo barroco, vai fazer seus olhos brilharem e te proporcionará uma verdadeira viagem no tempo.

Mas não é possível falar da Chapada dos Guimarães, sem mencionar seu principal cartão postal: o Parque Nacional da Chapada dos Guimarães. É lá que estão as principais atrações da região, espalhadas por seus mais de 330 quilômetros quadrados de pura beleza. A reserva abriga cachoeiras, formações rochosas, a beleza do cerrado típico mato-grossense, restaurantes, lojas de artesanato, restaurantes, quiosques e muito mais! Merecem destaque o  Morro de São Gerônimo, a mais de 830 metros de altitude e o Circuito das Cachoeiras, formado por sete cascatas. A visita é indispensável. Visitar a Chapada dos Guimarães e não conhecer o Parque Nacional, é como viajar para Roma e não visitar o Coliseu, ou a Capela Sistina .